COVID 19

Estudo de proxalutamida para covid omitiu riscos e direitos a pacientes

Os responsáveis pelo estudo que usou a proxalutamida contra a covid-19 em pacientes do Amazonas omitiram informações importantes do termo de consentimento para pacientes, segundo denúncia da Conep (Comissão Nacional de Ética em Pesquisa, do Conselho Nacional de Saúde) à PGR (Procuradoria Geral da República) e ao MPF-AM (Ministério Público Federal do Amazonas).

A Conep —órgão que fiscaliza as pesquisas científicas no país— obteve o termo assinado por pacientes submetidos ao estudo e notou que, em comparação ao original, foram retiradas referências sobre riscos, direitos e até de contatos para urgências relativas ao medicamento experimental.

A pesquisa foi comandada pelo endocrinologista Flavio Cadegini, que está sendo investigado. Por causa da suspeita de falhas no experimento com pacientes, ele foi um dos indiciados pela CPI da Covid, do Senado, por “crime contra a humanidade”.

Ao UOL, ele disse que o “formulário elaborado está de acordo com todas as normas aplicáveis, e o treinamento dado aos pesquisadores destacava todos os riscos e cuidados a serem tomados”. O Hospital Samel negou ter alterado o documento.

Fonte: UOL.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo