Brasil

PEC do Voto Impresso

Proposta de Emenda Constitucional (PEC) que propunha a adoção do voto impresso e que tramitava na Câmara dos Deputadofoi rejeitada nesta terça-feira (10/8) após apenas 229 parlamentares votarem a favor. Para que o texto fosse aprovado e encaminhado ao Senado Federal, 308 tinham que aderir ao projeto. Dos 53 deputados de Minas Gerais, 26 votaram “sim” e 18 “não”.

Além disso, oito parlamentares se ausentaram da sessão e acabaram não votando. O deputado Aécio Neves (PSDB/MG) se absteve, sendo o único dos representantes presentes na casa a tomar tal medida.
A bancada do Partido Social Liberal (PSL) orientou os parlamentares para que votassem de forma favorável ao projeto. Cinco mineiros da legenda, apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (sem partido), seguiram o combinado, com exceção de Marcelo Álvaro Antônio, que não esteve presente. Álvaro Antônio é ex-ministro do Turismo, sendo demitido por Bolsonaro em dezembro do ano passado.
Já a bancada do Novo liberou os parlamentares a seguirem suas respectivas convicções. Isso ficou claro em Minas Gerais, com os dois representantes do estado na legenda indo por caminhos opostos: enquanto Lucas Gonzalez disse “sim” à PEC, Tiago Mitraud optou pelo “não”. 
Além da abstenção de Aécio, o PSDB computou votos divergentes ao que a bancada na Câmara foi orientada a seguir. Apenas Domingos Sávio votou “sim”, enquanto Rodrigo de Castro e Eduardo Barbosa votaram “não”. Já Paulo Abi-Ackel não participou da sessão. 

Fonte: Estado de Minas.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo