Minas Gerais

Barragem construída como em Brumadinho e Mariana é desmanchada em Nova Lima

De reservatório com 558 mil metros cúbicos de rejeitos de minério de ferro, água e areia acumulados ao longo de 15 anos em um complexo minerário entre o Rio das Velhas e a rodovia BR-356, em Nova Lima, a um planalto vegetado com canalização de água fluindo ao centro. Depois de nove meses de trabalhos a Barragem de Fernandinho deixou de existir.

O barramento operado pela Vale em Vargem Grande é o sexto da empresa a ser descaracterizado desde 2019. Apesar de não apresentar nível de emergência indicativo de instabilidade, a construção precisou ser desmantelada por ter sido alteada pelo método a montante, o mesmo utilizado nas estruturas rompidas de Mariana (Barragem do Fundão) e Brumadinho (Barragem B1, da Mina Córrego do Feijão).

O sistema de alteamento a montante foi banido pela nova legislação minerária por ser considerado inseguro, mesmo com as garantias de estabilidade.

De acordo com a Vale, com a descaracterização, a estrutura perdeu a função de armazenamento de rejeitos e água, sendo reintegrada ao ambiente local e não possuindo mais características de barragem de mineração.

“A conclusão das obras de descaracterização ainda será avaliada pelos órgãos competentes. A descaracterização das barragens a montante é um compromisso assumido pela Vale para aumentar a segurança das comunidades e das operações”, informa a empresa.

Fonte: Estado de Minas.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo