Saúde

Primeiro caso de COVID-19 em Minas Gerais completa 300 dias

Passados exatamente 300 dias, completados nesta quinta-feira, dos exames feitos pelo paciente zero, o primeiro a testar positivo para o novo coronavírus (Sars-CoV-2) em Minas Gerais, o estado ainda apresenta uma marcha intensa de contaminações. O mês de dezembro já registra a pior média de novos casos por dia, com 3.793 positivos e 54 óbitos a cada 24 horas. O patamar médio de exames positivos por dia deste mês é o mais alto desde 6 de março, quando uma mulher de 42 anos, moradora de Divinópolis, no Centro-Oeste mineiro, retornou da Itália com sintomas e foi examinada em Belo Horizonte. Já a razão mensal de mortes por dia é a terceira mais elevada, atrás  de agosto, quando a média era de 83 registros, e de julho, com 58.

Situação que leva à necessidade uma vigilância do poder público e da sociedade quanto à pressão exercida sobre os leitos hospitalares. A ocupação de Unidades de Terapia Intensiva (UTIs) variou, na última semana, dentro dos 70% e as enfermarias em torno de 60%.

No total, até essa quarta, a pandemia em Minas contabilizou 536.044 casos, com 11.784 mortos e 485.887 recuperados. A maior parte das regionais de saúde se encontra na situação mais crítica de restrições segundo o plano Minas Consciente. São oito regiões na onda vermelhs: Sul, Centro-Sul, Sudeste, Leste do Sul, Vale do Aço, Leste, Jequitinhonha e Nordeste. A onda amarela, intermediária, se espalha por cinco regiões: Centro, Oeste, Triângulo do Norte, Noroeste e Norte. Triângulo do Sul é a única na onda de maior flexibilização.

Fonte: Estado de Minas.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo