COVID 19

Voluntário brasileiro que morreu durante testes de vacina da Oxford recebeu placebo, diz agência

médico João Pedro R. Feitosa, 28 anos, voluntário que participava dos testes da vacina de Oxford em parceria com a AstraZeneca, que morreu por complicações da COVID-19, não recebeu doses da vacina. De acordo com a agência Bloomberg, o médico recém-formado na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) fazia parte dos voluntários que recebeu placebo. Segundo a reportagem, a fonte da matéria é um parente de João.

Nesta segunda-feira (19), a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) informou em nota que foi notificada do óbito pelo comitê independente que acompanha o caso.

Segundo a agência, foi sugerido o prosseguimento do estudo. “O processo permanece em avaliação”, informou.

A AstraZeneca afirmou que não pode comentar casos individuais devido à confidencialidade e às regras do estudo.

“Obedecemos estritamente à confidencialidade médica e às regulamentações relativas a estudo clínicos e, em linha com esses princípios, podemos confirmar que todos os processos de revisão exigidos foram seguidos”, diz a nota.

A reitoria da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)  também emitiu uma nota de pesar. O jovem tinha se formado na faculdade no ano passado.

Fonte: Estado de Minas.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo