Brasil

Grávida denuncia hospital por violência obstétrica; bebê ficou ferido

Era para ser um dia feliz para a diarista Ana Paula Silva de Souza, de 37 anos, que viu o momento do parto de seu filho se tornar algo traumático. Ela deu à luz em um hospital de Olinda, em Pernambuco, e teve o bebê machucado durante o procedimento. Segundo a mulher, a unidade ainda preencheu incorretamente a declaração de nascido vivo, trocando o sexo da criança. O centro de saúde diz que está à disposição de Ana e familiares para possíveis esclarecimentos.

O parto aconteceu em 24 de setembro, no Hospital do Tricentenário. “Assim que eu cheguei lá, começou o sofrimento. O acompanhamento médico que fiz não recomendava o parto normal, mas mesmo assim quiseram. E o médico pegou um fórceps para forçar no parto. Ele usou uma tesoura e machucou a mim e a meu filho. Em dado momento, ele caiu no chão, se levantou, saiu da sala e avisou aos enfermeiros para me levarem para a cesárea”, contou Ana Paula ao UOL.

Em nota, o Hospital do Tricentenário informou que a paciente teve “dilatação completa e encaixe adequado do bebê”, mas foi indicado na ocasião o uso de fórceps: “O procedimento não foi suficiente, visto que, no decorrer da evolução clínica, apresentou uma desproporção céfalo pélvica, sendo indicado, posteriormente, o parto cesáreo, do qual ocorreu com sucesso, sem prejuízos às saúdes da puérpera e do recém nascido”.

“Alguns pequenos riscos são previstos, mas de forma temporária, sem a necessidade de tratamento, como pequenas lesões na região da cabeça do bebê, onde o aparelho é encaixado. Como consta em prontuário, mãe e bebê tiveram alta médica em boas condições e sem agravos à saúde. O Hospital do Tricentenário fica à disposição dos familiares para possíveis esclarecimentos”, pontuou o centro de saúde.

Fonte: UOL.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo